A quem possa interessar.

 

Em virtude de certa confusão por parte de algumas pessoas que desconhecem nossas atividades, quanto aos nossos reais objetivos e filosofia de trabalhos em prol do espiritismo/espiritualismo e visando evitar @-mails desnecessários e por vezes inoportunos e ainda entendendo que cada um de nós quando equilibrados em nossas forças somos capazes de encontrar nossas próprias respostas para as nossas vidas, em breves palavras  esclarecemos abaixo parte de nossa ética espiritual:-

 

- Trabalhamos espiritualmente em benefício de nosso semelhante apenas pelo ideal da fé. Por amor a Deus, ao próximo e principalmente por nós mesmos.

 

- Usamos o poder divino para a cura e desobsessão dentro das Leis de Evolução que são tuteladas por nossos mentores espirituais.

 

- Por respeito às Leis de Deus para a Evolução e ao ser humano:-

 

- Não vendemos ou propomos cursos de velas, ervas, magia, tarot ou qualquer outra prática mística ou esotérica sejam estes pagos ou não.

 

-  Não fazemos interpretação de sonhos.

 

- Não aconselhamos pessoas com relação aos seus problemas sejam eles de ordem material, mental ou espiritual.

 

- Não cobramos qualquer valor ou vantagem material por qualquer atendimento espiritual.

 

- Quando discordamos de práticas diferentes das nossas atividades – naquilo que chamamos de mercantilismo espiritual -  é porque entendemos a estas práticas como equivocadas e na contra-mão da evolução dos encarnados. Não buscamos entretanto, ofender a ninguém que as pratica.  Não é o caso de se destratar pessoas que muitas vezes até trabalham com boas intenções (embora saibamos que existem muitos desonestos e aproveitadores circulando por aí). Porém quando se mistura a prática espiritual com questões materiais pode-se não se estar servindo a Deus ou fazendo o bem  mas sim criando de sua mediunidade um objeto de negócio.

 

- Entendemos a isto como um trágico engano. Quando alguém de fato usa o que  somente pertence a Deus para questões materiais, da vida comum dos homens, estes (praticante e beneficiado) estão em verdade, inferindo nas Leis Naturais da Vida, portanto agindo também de maneira contrária as Leis de Causa e Efeito. Isto é inferir na sabedoria divina que a cada um proporciona nesta vida somente o que cada um precisa para evoluir. Agindo assim de maneira errada, acreditamos que as conseqüências posteriores serão um dia resgatadas de maneira muito mais danosa e intensa para estes...

 

- Cremos ainda que, todos somos perfeitos na nossa essência divina embora ignorantes no estágio natural de nossas crenças humanas e daí carentes de aprendizado em todos os aspectos da vida.  Por isto debatemos sim, quando necessário de modo crítico (analisamos com critérios) as idéias que julgamos como falsas ou equivocadas, já que acreditamos também que é da discussão dos temas que nasce a luz de novos conhecimentos e interpretações. Isto por vezes de nossa parte se torna necessário até para esclarecer o porquê que não partilhamos destas crenças mercantilistas que misturam o material com o espiritual.

Claramente um dia nos foi dito pelos nossos patriarcas, que não devemos rogar o nome de Deus em vão e assim transportamos isto para  os Seus atributos e significados.

 

- Nossos companheiros de jornada são “escolhidos” entre os nossos visitantes usando-se o critério de convite pelas entidades quando incorporadas ou mesmo por mim próprio (dentre os vários motivos que a espiritualidade tem para fazê-lo) na razão de aproximadamente 3 indivíduos a cada 100 que passam por lá sendo que destes, em média, somente 1 continua após o período de testes e ensinamentos prévios.

 

- Não temos nenhum interesse em “inchar” nosso grupo de trabalho além do que nos é requerido pelos mentores diante de nossas necessidades. Acreditamos que quantidade não traz necessariamente qualidade. Portanto não fazemos proselitismo em qualquer veículo de mídia. Embora esclarecimentos como estes sejam necessários já que mesmo a contra-gosto, no final nos tornamos públicos e alvo de interpretações errôneas.

 

- Repetindo e melhor explicando, esclarecemos que dentro de nossa filosofia, não misturamos práticas ou trocas financeiras/comerciais com questões espirituais ou espiritualistas, pois entendemos que espiritualidade nada tem a ver com materialidade e o conceito de prosperidade pregados por muitos que se dizem espiritualistas, que atrela o progresso material ao espiritual, em nossa concepção ou modo de ver as coisas, dada a nossa experiência, está completamente equivocado e o que propomos muitas vezes é bem diferente do American Way Life também conhecido sob o nome de Filosofia ou Caminho da Prosperidade (aplaudido e idolatrado por inúmeros “espiritualistas/materialistas”) que aproveitando a ocasião entendemos que esta prática  está destruindo o planeta e que trará conseqüências gravíssimas para as gerações futuras.

 

- Atendemos as pessoas mediunicamente em nossos locais de trabalho exclusivamente, independentemente de sua posição sócio-econômica  num processo que chamamos de Cura Espiritual que nada tem a ver com a medicina tradicional. A chamada medicina da Terra é por nós extremamente valorizada a tal ponto que sempre recomendamos que NUNCA, jamais se deve abandonar qualquer tratamento médico da Terra por se estar tratando espiritualmente em qualquer lugar que seja. Os dois tratamentos não só se complementam como são mais eficazes quando corretamente combinados.

 

- Cura Espiritual é também na nossa visão, colocar o homem dentro de seu destino previamente escolhido antes de vir a este mundo e isto é feito pelos mentores que nos assistem e orientam, sem palavras de ordem, sem soluções verbais ou propostas que tirem de nós outros o atributo de nós mesmos encontrarmos nossas respostas. Não há questionamentos de ordem psicológica senão a prática do amor a Deus,  amor ao próximo e amor a si mesmo e a disciplina educativa da necessidade de se praticar o bem. A cura espiritual ocorre então na interação das energias que dos trabalhos fluem via canais mediúnicos, ou seja, ela parte ou nasce de “dentro para fora” do indivíduo.

 

- Como resultado aprendemos de modo natural a amar a Deus, ao próximo, a vida e a si mesmo como um todo em qualquer circunstância que esta se nos apresente, com ou sem dinheiro (friso isto pois na verdade é o que somente interessa para muitas pessoas) e equilibrados conseguimos sim nosso “ganha-pão” na vida, sempre entendendo que no final, nosso trabalho material, não é nosso maior objetivo, mas sim um meio para termos condições de ir buscar nosso desenvolvimento e progresso espiritual no meio social em que vivemos neste mundo.

 

- Em outros níveis de desenvolvimento aprendemos ainda através de uma série de saberes e práticas  filosóficas complementares, sempre  amparados na responsabilidade do livre-arbítrio, das decisões corretas e do mediunismo, ao fortalecimento interno do indivíduo, principalmente no amor e na fé. Encontramos assim, forças para fazermos o melhor possível em todas as ocasiões e mesmo nas viscitudes, independente dos resultados que a vida nos apresente.

 

- Foi-nos ensinado que todos nós devemos cultivar a humildade e a tolerância, embora exista a altivez divina que cada um carrega dentro dele próprio.  Aprendemos também que se tivermos que escolher entre os tesouros do coração em detrimento dos da matéria, o primeiro é o que deve ser escolhido já que SOMOS espíritos e estamos apenas momentaneamente ENCARNADOS, portanto como matéria.

 

- Em nossa filosofia ainda aprendemos que somos o resultado do que pensamos, do que sentimos e de como agimos. Que ninguém é responsável pelo nosso sucesso ou pelo nosso fracasso, mas sim tudo o que se mostra em nossas vidas é o exato reflexo do que construímos em nosso interior.

 

- Aprendemos por fim que temos uma responsabilidade com a parte que nos cabe na vida e neste mundo. E, por último, acreditamos que em breve seremos julgados como espécie por forças maiores que regem e guardam o universo e como indivíduos receberemos atenuantes  pelo que fizemos de bom ou agravantes pelo bem que deixamos de fazer. Por este motivo acreditamos que corremos o risco de perder este planeta, esta escola reservada a humanos e termos que dividi-la com outros entes de outra natureza distinta da humana.

2009 - Mt.Reinaldo.